Diário Visual e Gráfico

Por Gonçalo M. tavares

O reparador de montanhas parece calmo e vai fazendo o seu trabalho: um pequeno furo aqui, outro ali, e, depois, subitamente, uma martelado um metro mais acima e ops, que surpresa, à montanha, de muitas centenas de metros abana como se atacada de cima e não de baixo, como se diante de um avc natural, uma súbita paragem do coração e sim, cai como se empurrada; a montanha desfaz-se; rende-se.