Diário Visual e Gráfico

Por Gonçalo M. tavares

Nenhum discurso longo resolve uma urgência.
Mão firme, sim; pai-mãe, por vezes irmãos, curtas palavras, máquinas eficazes – e o pedido de socorro no momento certo.
Que o perigo venha com tempo suficiente para se sentar paciente na cadeira.
Que a salvação venha com pés bem mais ligeiros que os pés pesados do perigo.
Só peso excessivo de um lado e leveza do outro pode salvar.
Só há salvação com um tempo mínimo de intervalo entre o perigo e a possível morte.

– Gonçalo M. Tavares